Dona Zica

Jura que vai levar a sério?

A volta da que não foi 10 de agosto de 2010

Filed under: Cotidiano — Dona Zica @ 12:34

Eu não termino as coisas que começo. Pronto, simples assim. Tenho aqui no wordpress sete (sim, sete!) rascunhos de textos diferentes que não foram publicados. Tenho uma idéia genial, corro pra cá, começo a escrever, aí algo acaba: o tempo ou a inspiração.

Penso: daqui a pouco eu volto… Adivinha se volto mesmo?

Fora do blog, tenho ainda rascunho de desenhos, rascunho dos meus dois sites, rascunho de planos. Rascunhos.

Desde a última postagem várias coisas aconteceram, então vamos em tópicos, senão elas acabam virando vocês já sabem o que:

  • Fiz 30 anos. Ia escrever sobre como eu não me sinto nem velha e nem adulta ainda. Apesar de achar – quando tinha uns 10 anos – que aos 30 seria mãe de 3 filhos e estaria no auge profissional. Nenhum dos dois aconteceu (ainda!), mas não tem problema.
  • Fiz festa de aniversário pela primeira vez por vontade própria (afinal, virei balzaca). Festa gostosa com amigos queridos, cerveja gelada e samba de primeira. Acho que ano que vem vou fazer de novo e assim acabar com a birra de aniversários de uma vez por todas.
  • Meu sobrinho continua sendo a criança mais linda do mundo (foi mal, mas é verdade!!!). E agora me chama de Dedê, o que faz com que eu me derreta inteira.
  • Ando mais fotógrafa do que arquiteta. E mais feliz com isso também. Em breve capa de CD com fotos minhas! Uhuuuuuu!!!
  • Ando desenhando bastante, graças a um encontro semanal que de vez em sempre é furado, mas quando rola, tem nankin, aquarela, chá e conversas menininhas. E conversas existenciais.
  • Namorido está lançando o segundo livro, o que me enche de orgulho (em breve resenha especial!)

E com tudo isso, parece que a inspiração em escrever está pequenininha. Ando menos internética também. Nunca gostei de colocar coisas de outras pessoas no blog (nada contra quem ponha, mas eu me sinto meio que “enganando” vocês, meus queridos leitores). Talvez comece a fazer isso, só pra isso aqui não ficar tão mortinho.

Ou volte a falar da sujeira do meu próprio umbigo com mais frequencia.

Anúncios
 

Almoço e afins 4 de maio de 2010

Filed under: Brincando de Casinha,Cotidiano — Dona Zica @ 10:55

Sabe quando você convida um casal de amigos queridos pra visitar sua casa? Daquelas visitinhas light, almocinho gostoso feito pelo outro dono da casa, cervejinha de leve e tal…

De alguma forma, esse almocinho light virou uma balada com direito a acabar a cerveja por duas vezes,  com uma garrafa de saquê, acabar com toda comida comestível de casa (sobrou tipo… Polpa de tomate e algumas cebolas na minha geladeira! Hahaha).

O almocinho light virou 11 pessoas amontoadas no meu apartamento-ovo, ouvindo o CD novo do amigo músico, conversando e rindo alto (e desta vez – como que por milagre – sem nenhuma bronca do porteiro).

O almocinho light virou uma casa zoneada e suja, uma ressaca de bom tamanho para o outro dono da casa (e – como que por milagre – eu acordei boazinha de tudo!)

O almocinho light virou um dia/noite gostoso e trouxe a sensação de que a gente ainda não é muito adulto não…

 

Desejos 29 de março de 2010

Filed under: Brincando de Casinha,Cotidiano — Dona Zica @ 12:49

… para um dia especial e para uma pessoa mais que especial

Desejo muitas manhãs preguiçosas de domingo sem shows gospel ou campeonatos de futebol amador no estádio da Ponte. Daquelas manhãs de ficar enrolando na cama até o corpo doer, sem pressa pra ver o mundo.

Desejo cervejinhas no fim de tarde nos botecos de sempre e nos botecos de nunca, com porções de torresmo estalando. Ou ainda whisky na nossa varanda com um cubano pra acompanhar.

Desejos peças de teatro e shows de música – mesmo aqueles ruins, só pra gente ficar sacaneando.

Desejo aquelas risadas com os olhinhos apertados, daquele jeito que só acontece quando se está feliz de verdade.

Desejo que o Civilizacion 3 não tenha fim nunca, pra te dar descanso naqueles dias difíceis.

Desejo muitos beijos com a testa grudada, daquele jeito que é só nosso.

Desejo muitas noites de culinária em casa, inventando receitas e colocando todos os condimentos ao mesmo tempo!

Desejo noites de rock entremeadas por noites de samba.

Desejos textos e mais textos que me matam de orgulho.

Desejo pizzas, salgadinhos e outras tranqueiras assistindo programas bobos na tv, deitados na cama em um dia qualquer.

Desejo uma casinha com horta, cachorro (e sim, tem que ser grande!), ateliê, crianças.

E tenho muitos desejos ainda pra desejar, mas o maior deles é:

Desejo ficar velhinha do teu lado.

 

Terror movie 26 de fevereiro de 2010

Filed under: Cotidiano,Zica — Dona Zica @ 19:24
Tags: , ,

Acordei cedo e fui pro dentista. Mais uma vez quase dormi na cadeira (tenho essa característica: além de não ter medo de dentista, basta sentar na cadeira da Dra. Daniele que me dá um sono homérico, uma coisa quase que incontrolável).

Depois de fazer o que tinha que fazer lá (não é necessário dar maiores explicações, certo?) fui pro Cemitério da Saudade fotografar (parte da exposição que um dia sai… assim que a Prefeitura resolver me pagar! Ou seja, isso pode demorar muito ainda). Beleza, estava feliz da vida, adoro fotografar e realmente gosto de cemitérios (desculpem os que ficaram horrorizados, mas gosto mesmo. Mas só daqueles cemitérios cheios de estátuas, não gosto de cemitérios gramados, por uma questão – vamos dizer assim – artística da coisa toda).

Até aí, tudo bem, fui na administração, pedi autorização, chequei as condições de segurança (afinal, uma mocinha bonitinha (cof!) com uma câmera fotográfica grande e que chama atenção, apesar de já estar meio ultrapassada vira alvo fácil) e fui passear por lá. Tava rolando meio que um multirão de limpeza do  lugar, cheio de trabalhadores com vassouras, então fui recebendo vários “bom-dia” cordiais, enquanto olhava cada lápide, cada anjinho, cada capela.

Sei lá porque, acho que pelo encantamento pelo lugar que é lindo de verdade, saí andando sem olhar muito pra onde estava indo, até que…

Poft

Caí num buraco no meio do cemitério. Cena de filme de terror, não é mesmo? Tá, não caí inteeeeira dentro de um buraco, enfiei uma perna até a altura do joelho numa caixa de inspeção e fiquei de quatro porque não consegui (obviamente) manter o equilibrio.

Detalhe: fiquei de quatro na frente de um monte de garis do cemitério. Eles só deram umas risadas baixinho, até que foram gente boa, porque eu teria rachado o bico se estivesse na posição deles.

Achei que talvez os fantasmas não estivessem gostando das minhas fotos, então levantei, sacudi a poeira, catei os caquinhos do meu ego e saí como se nada tivesse acontecido.

 

Sobre a inveja 23 de fevereiro de 2010

Filed under: Cotidiano — Dona Zica @ 18:38

Acabou-se o que era doce, fim de carnaval, hora de rasgar a fantasia.

É dolorido, mas fazer o que não? Hora de arregaçar as mangas e voltar ao mundo real (e sim, me dei folga até domingo, que de boba tenho só a cara!).

Aí que na segunda, as 4 da tarde, vejo um cara numa moto com sidecar (aquelas carriolas do lado da moto, sabem?). E dentro do sidecar tinham 2 barris de chopp.

Instantaneamente desejei ser amiga dele. Porque um cara que tem uma moto dessas deve ser divertido. Porque um cara carregando dois barris de chopp dentro de uma moto dessas deve ser mais divertido ainda. Porque um cara com uma moto dessas, carregando dois barris de chopp as 4 da tarde de uma SEGUNDA-FEIRA, além de divertido pra caramba, deve ser rico e não precisa trabalhar.

Naquele momento gostei bem menos dos amigos que eu tenho.

 

Zica who? 8 de fevereiro de 2010

Filed under: Cotidiano — Dona Zica @ 10:30
Tags: ,

No falecido “Coisas ao Vento” percebi que me dou melhor escrevendo sobre fracassos do que sobre sucessos. Por um simples motivo: eu sei rir de mim mesma, graças aos céus!

É claro que também sei me fazer de vítima como ninguém, mas quando as coisas dão erradas… Aí parece que fica mais divertido escrever! Pois bem, a minha vida está gostosa (no geral), mas sempre tem uns momentos descontrol para colocar por aqui!

Por exemplo: o intuito original deste post era dizer que a Dona Zica tinha ligação com a palavra zica em si (tipo uma pessoa ser zicada, sabe? Má sorte, contração da palavra ziquizira – uhuuuu…wikipédia rules!!!) e que não tinha nada a ver com a Dona Zica do “Atirei o Pau no Gato”. Até que cantei a música pra ver qual era a característica da senhora da música e me toquei que ela se chamava Chica!

Tá. Será que errar uma cantiga de roda é sinal de Alzheimer precoce???

 

Prazer, sou a Zica! 5 de fevereiro de 2010

Filed under: Cotidiano — Dona Zica @ 23:17
Tags:

Arquiteta, urbanista, decoradora, cenógrafa, cerimonial e organizadora de eventos, fotógrafa.

Resumindo: ainda não sei muito bem o que quero ser quando crescer.

(Abre parêntesis)

Minto.

Quando eu crescer eu quero ser linda, rica, fina, elegante. Ou seja, quando eu crescer eu quero ser a Jacqueline Onassis.

Minhas chances disso acontecer?

Zero.

Ou quero ser linda, beeeem sexy, meio moleca  e ficar bem de batom vermelho. Ou seja, queria ser uma pin-up.

Minhas chances disso acontecer?

Menos um.

(Fecha parêntesis)

Recém dona de uma casinha pra chamar de minha. Péssima dona de casa, mas tentando aprender. Péssima cozinheira e sem nenhuma esperança de que seja possível virar uma grande chef .

Na verdade, recém dona de uma casinha pra chamar de nossa. Com todas as delícias e com todas as dificuldades que vem no pacote.

Leitora voraz de tudo que cai na mão (ou que cai na tela do computador), com uma pequena queda por coisas fúteis, tipo make up de celebridades, Big Brother Brasil, blogs de pessoas toscas e sites de casamentos (com a ÓTEMA desculpa de que é pesquisa profissional).

Com uma preguiça homérica dos meio-intelectual, meio-de-esquerda, mas com uma forte queda por bares meio-ruins (já leu? LEIA!).

De resto, vidinha cotidiana como qualquer outra.

Prazer, gente!

O blog é novo, mas a blogueira é velha, então não vou prometer assiduidade por aqui… Quando der vontade eu venho!