Dona Zica

Jura que vai levar a sério?

Era só o que me faltava 17 de agosto de 2010

Filed under: Brincando de Casinha,Zica — Dona Zica @ 17:33

Alguém faz o favor de avisar a administradora do colégio que fica na minha rua que a dita cuja (a rua, não a administradora) é PÚBLICA, portanto eles não podem deixar um recado no meu parabrisa (tem hífen?) pedindo pra eu não estacionar o carro lá das 6:30 da mnhã até as 6:30 da tarde? E que da próxima vez que eu encontrar um papel com recado no meu parabrisa, eu vou entrar com ele enrolado naquele colégio… ops, chega, né?

Já mandei um e-mail semi-mal educado pra a moça, mas se quiserem aderir à causa eu fico feliz.

Grata!

 

Almoço e afins 4 de maio de 2010

Filed under: Brincando de Casinha,Cotidiano — Dona Zica @ 10:55

Sabe quando você convida um casal de amigos queridos pra visitar sua casa? Daquelas visitinhas light, almocinho gostoso feito pelo outro dono da casa, cervejinha de leve e tal…

De alguma forma, esse almocinho light virou uma balada com direito a acabar a cerveja por duas vezes,  com uma garrafa de saquê, acabar com toda comida comestível de casa (sobrou tipo… Polpa de tomate e algumas cebolas na minha geladeira! Hahaha).

O almocinho light virou 11 pessoas amontoadas no meu apartamento-ovo, ouvindo o CD novo do amigo músico, conversando e rindo alto (e desta vez – como que por milagre – sem nenhuma bronca do porteiro).

O almocinho light virou uma casa zoneada e suja, uma ressaca de bom tamanho para o outro dono da casa (e – como que por milagre – eu acordei boazinha de tudo!)

O almocinho light virou um dia/noite gostoso e trouxe a sensação de que a gente ainda não é muito adulto não…

 

Desejos 29 de março de 2010

Filed under: Brincando de Casinha,Cotidiano — Dona Zica @ 12:49

… para um dia especial e para uma pessoa mais que especial

Desejo muitas manhãs preguiçosas de domingo sem shows gospel ou campeonatos de futebol amador no estádio da Ponte. Daquelas manhãs de ficar enrolando na cama até o corpo doer, sem pressa pra ver o mundo.

Desejo cervejinhas no fim de tarde nos botecos de sempre e nos botecos de nunca, com porções de torresmo estalando. Ou ainda whisky na nossa varanda com um cubano pra acompanhar.

Desejos peças de teatro e shows de música – mesmo aqueles ruins, só pra gente ficar sacaneando.

Desejo aquelas risadas com os olhinhos apertados, daquele jeito que só acontece quando se está feliz de verdade.

Desejo que o Civilizacion 3 não tenha fim nunca, pra te dar descanso naqueles dias difíceis.

Desejo muitos beijos com a testa grudada, daquele jeito que é só nosso.

Desejo muitas noites de culinária em casa, inventando receitas e colocando todos os condimentos ao mesmo tempo!

Desejo noites de rock entremeadas por noites de samba.

Desejos textos e mais textos que me matam de orgulho.

Desejo pizzas, salgadinhos e outras tranqueiras assistindo programas bobos na tv, deitados na cama em um dia qualquer.

Desejo uma casinha com horta, cachorro (e sim, tem que ser grande!), ateliê, crianças.

E tenho muitos desejos ainda pra desejar, mas o maior deles é:

Desejo ficar velhinha do teu lado.

 

Coluna do meio 10 de fevereiro de 2010

Filed under: Brincando de Casinha — Dona Zica @ 16:28

Quando me perguntam se eu sou casada, fico meio sem saber o que responder. Possíveis respostas:

-Mais ou menos… (com um sorrisinho meio sem graça)

-Sou solteira (afinal é o que consta na lei…)

-sou parte de uma união estável não comprovada, mas o que é um papel, certo?

-sim sou casada (o que ainda parece mentira, já que não tenho anel, não tenho papel… Essa coisa meio sem lenço e sem documento, sabem?)

-não, mas eu vivo muito bem em pecado!

E quando eu vou apresentar o outro dono da casa?

-esse aqui é meu namorado (teoricamente é isso mesmo, mas fica parecendo meio incompleta a informação, vocês me entendem?)

-esse é o meu amásio (e de repente me sinto em 1950)

-esse é o meu companheiro (companheiro de que afinal?Fora que pra mim essa expressão me dá a sensação do tal do preconceito velado dos homofóbicos que não entendem que uma pessoa pode namorar/casar com outra do mesmo sexo… Aí vem com essa de que são companheiros!)

-esse é meu noivo (hummm… Desculpe quem não acha, mas sempre achei noivado uma coisa tão cafona! Esse eu não uso e nem pretendo usar – até porque eu não sou noiva!)

-esse é meu marido (fico com a sensação de que estou contando uma mentirinha outra vez…)

-esse é o meu namorido (a expressão que mais uso, acho até bonitinha. Mas o sangue feminista-bota-fogo-no-sutien não gosta dela pois não existe a contrapartida de gênero no nome…. Afinal, algum homem usa a expressão namesposa ou mulherada ou algo que o valha?

Alguém me ajuda a dar uma definição?